(Português) [Na mídia] Referência em tecnologia para educação, DOT digital group aposta na internacionalização

Sorry, this entry is only available in European Portuguese.

Get Content!

Sign up and receive exclusive content produced by DOT.

MarTech: por que os profissionais de Marketing precisam estar preparados

Por Luiz Alberto Ferla*

A tecnologia tem provocado o que muitos chamam de revolução digital. Na prática, ela tem transformado os modelos tradicionais de negócios e a forma das empresas e pessoas se relacionarem. Para a área de marketing, há um consenso que essa transformação de cenário passa, necessariamente, pelo uso de tecnologias que tornem as campanhas cada vez mais assertivas e eficientes para conquistar e fidelizar clientes.

No Brasil, mais de 90% dos profissionais de marketing concordam (total ou parcialmente) que o uso da tecnologia representa uma estratégia fundamental para criar campanhas voltadas a conquistar os consumidores do século 21, de acordo com uma recente pesquisa sobre MarTech (Marketing Technology), publicada pelo DOT digital group.

O mesmo estudo mostra, no entanto, que apenas 25% dos profissionais de marketing conhecem o conceito de MarTech – o qual prevê o uso de tecnologia associada à análise de grandes volumes de dados para criar campanhas mais adequadas e customizadas ao público-alvo. Estes dados mostram que 75% dos marqueteiros brasileiros precisam preparar-se para essa tendência, se quiserem permanecer no mercado em médio e longo prazos.

O grande diferencial de MarTech, em relação às ferramentas tradicionais de marketing está na possibilidade de criar campanhas baseadas em dados fiéis, micro segmentados e dirigidos, gerando assim resultados mais assertivos e com investimento menor. A análise de grandes volumes de dados permite ainda medir, mensurar e realizar ajustes constantes, mesmo quando a campanha já está no ar. Ou seja, a medição da assertividade ocorre em tempo real, por meio de ferramentas de performance que possibilitam antecipar ou até mesmo mudar a estratégia em curso, dependendo dos efeitos alcançados.

Em países como Europa e Estados Unidos, o conceito de MarTech já está bastante difundido e as expectativas são de que, ao longo de 2017, um número crescente de empresas no Brasil deve aderir ao modelo. O que passa pela necessidade de profissionais cada vez mais capacitados.

Na prática, os profissionais de Marketing que conhecerem a fundo as ferramentas de MarTech tendem a ganhar uma vantagem competitiva de mercado e serem cada vez mais valorizados pelas organizações.

E você, está preparado para incorporar MarTech ao seu cotidiano?

*Luiz Alberto Ferla é CEO do DOT digital group, empresa brasileira especializada na oferta de soluções digitais para EdTech e MarTech.

Get Content!

Sign up and receive exclusive content produced by DOT.

[Videocase] Universidade UniSociesc aumenta em 25% as inscrições no vestibular com solução de DOT

Com o desafio de aumentar a captação de alunos em um mercado recessivo, o DOT traçou uma estratégia completa de MarTech para a UniSociesc, do Grupo Anima.

Confira case e o depoimento de Flávio Janones, diretor de Marketing da instituição.

 

Get Content!

Sign up and receive exclusive content produced by DOT.

Opinião | MarTech: uma nova oportunidade para o setor de TI

Por Luiz Alberto Ferla*

O mercado vive hoje um período de transformação digital, no qual o uso intensivo da tecnologia tem revolucionado diversos setores da economia e a forma de atuação das organizações. Um dos muitos exemplos concretos dessa mudança está no surgimento do conceito de MarTech, que prevê o uso combinado de ferramentas de marketing online, inteligência e Big Data para criação de campanhas personalizadas e, o melhor, com resultados mais assertivos e menores investimentos.

O MarTech promete revolucionar a abordagem tradicional de marketing, ao permitir a criação de campanhas segmentadas e adaptadas ao perfil de cada usuário. Na prática, por meio do uso intensivo de tecnologia para análise de grandes volumes de dados, essa abordagem possibilita a criação de ações baseadas em informações confiáveis, micro segmentadas e dirigidas aos diferentes públicos-alvo. Ao mesmo tempo em que permite medir e realizar ajustes constantes nas campanhas em tempo real.

De acordo com uma recente pesquisa sobre o mercado MarTech, realizada pelo DOT digital group, 96% dos profissionais de marketing que atuam no Brasil acreditam – total ou parcialmente – que o uso da tecnologia representa uma estratégia fundamental para criar campanhas voltadas aos consumidores.

O sucesso de ações de marketing está diretamente relacionado à capacidade de compreender os desejos e necessidades reais dos usuários e clientes e entender como atingi-los de forma mais eficiente por meio dos diversos canais, serviços e produtos. Isso gera uma crescente necessidade de que as empresas revejam suas estratégias de marketing e façam uso cada vez mais intensivo de tecnologia.

Tecnologia: indispensável nas ações de marketing

O que se percebe no Brasil é que ainda estamos vivendo uma fase inicial da adoção de MarTech, com espaço para que a tecnologia assuma, em curto e médio prazos, um papel cada vez mais relevante nas estratégias de marketing. Ainda segundo o estudo do DOT digital group, apenas 25% dos profissionais brasileiros conhecem o conceito de MarTech.

Em países como Estados Unidos alguns da Europa, esse conceito já está bastante difundido e as expectativas são de que, ao longo de 2017, um número crescente de organizações no Brasil deva aderir ao modelo. Por aqui, os conceitos de Big Data e comunicação digital já são amplamente conhecidos, mas ainda temos muito a nos aprofundar com relação ao uso prático de toda a inteligência que os dados nos oferecem para uma comunicação mais assertiva. É preciso que os profissionais, tanto da área de marketing quanto de tecnologia, vejam as oportunidades que o MarTech tem para oferecer e preparem-se para extrair todo o potencial desse novo cenário.

 

img_LAF_center

Luiz Alberto Ferla é CEO do DOT digital group

Este artigo foi publicado pelo portal TI Inside e Executivos Financeiros.

Get Content!

Sign up and receive exclusive content produced by DOT.

MarTech: por que os profissionais de marketing precisam estar preparados para essa tendência

Por Luiz Alberto Ferla

A tecnologia tem provocado o que muitos chamam de revolução digital. Na prática, ela tem transformado os modelos tradicionais de negócios e a forma das empresas e pessoas se relacionarem. Para a área de marketing, há um consenso que essa transformação de cenário passa, necessariamente, pelo uso de tecnologias que tornem as campanhas cada vez mais assertivas e eficientes para conquistar e fidelizar clientes.

No Brasil, mais de 90% dos profissionais de marketing concordam (total ou parcialmente) que o uso da tecnologia representa uma estratégia fundamental para criar campanhas voltadas a conquistar os consumidores do século 21, de acordo com uma recente pesquisa sobre MarTech (Marketing Technology), publicada pelo DOT digital group.

O mesmo estudo mostra, no entanto, que apenas 25% dos profissionais de marketing conhecem o conceito de MarTech – o qual prevê o uso de tecnologia associada à análise de grandes volumes de dados para criar campanhas mais adequadas e customizadas ao público-alvo. Estes dados mostram que 75% dos marqueteiros brasileiros precisam preparar-se para essa tendência, se quiserem permanecer no mercado em médio e longo prazos.

Dados fiéis, micro segmentados e dirigidos

O grande diferencial de MarTech, em relação às ferramentas tradicionais de marketing está na possibilidade de criar campanhas baseadas em dados fiéis, micro segmentados e dirigidos, gerando assim resultados mais assertivos e com investimento menor. A análise de grandes volumes de dados permite ainda medir, mensurar e realizar ajustes constantes, mesmo quando a campanha já está no ar. Ou seja, a medição da assertividade ocorre em tempo real, por meio de ferramentas de performance que possibilitam antecipar ou até mesmo mudar a estratégia em curso, dependendo dos efeitos alcançados.

Em países como Europa e Estados Unidos, o conceito de MarTech já está bastante difundido e as expectativas são de que, ao longo de 2017, um número crescente de empresas no Brasil deve aderir ao modelo. O que passa pela necessidade de profissionais cada vez mais capacitados.

Na prática, os profissionais de Marketing que conhecerem a fundo as ferramentas de MarTech tendem a ganhar uma vantagem competitiva de mercado e serem cada vez mais valorizados pelas organizações. E você, está preparado para incorporar MarTech ao seu cotidiano?

Luiz Alberto Ferla é CEO do DOT digital group

Este artigo foi publicado pelo portal PropMark.

 

 

 

 

Get Content!

Sign up and receive exclusive content produced by DOT.

MarTech: por que os profissionais de marketing precisam estar preparados para essa tendência

Por Luiz Alberto Ferla*

A tecnologia tem provocado o que muitos chamam de revolução digital. Na prática, ela tem transformado os modelos tradicionais de negócios e a forma das empresas e pessoas se relacionarem. Para a área de marketing, há um consenso que essa transformação de cenário passa, necessariamente, pelo uso de tecnologias que tornem as campanhas cada vez mais assertivas e eficientes para conquistar e fidelizar clientes.

No Brasil, mais de 90% dos profissionais de marketing concordam (total ou parcialmente) que o uso da tecnologia representa uma estratégia fundamental para criar campanhas voltadas a conquistar os consumidores do século 21, de acordo com uma recente pesquisa sobre MarTech (Marketing Technology), publicada pelo DOT digital group.

O mesmo estudo mostra, no entanto, que apenas 25% dos profissionais de marketing conhecem o conceito de MarTech – o qual prevê o uso de tecnologia associada à análise de grandes volumes de dados para criar campanhas mais adequadas e customizadas ao público-alvo. Estes dados mostram que 75% dos marqueteiros brasileiros precisam preparar-se para essa tendência, se quiserem permanecer no mercado em médio e longo prazos.

O grande diferencial de MarTech, em relação às ferramentas tradicionais de marketing está na possibilidade de criar campanhas baseadas em dados fiéis, micro segmentados e dirigidos, gerando assim resultados mais assertivos e com investimento menor. A análise de grandes volumes de dados permite ainda medir, mensurar e realizar ajustes constantes, mesmo quando a campanha já está no ar. Ou seja, a medição da assertividade ocorre em tempo real, por meio de ferramentas de performance que possibilitam antecipar ou até mesmo mudar a estratégia em curso, dependendo dos efeitos alcançados.

Em países como Europa e Estados Unidos, o conceito de MarTech já está bastante difundido e as expectativas são de que, ao longo de 2017, um número crescente de empresas no Brasil deve aderir ao modelo. O que passa pela necessidade de profissionais cada vez mais capacitados.

Na prática, os profissionais de Marketing que conhecerem a fundo as ferramentas de MarTech tendem a ganhar uma vantagem competitiva de mercado e serem cada vez mais valorizados pelas organizações. E você, está preparado para incorporar MarTech ao seu cotidiano?

 

img_LAF_center

 

Luiz Alberto Ferla é CEO do DOT digital group

 

Get Content!

Sign up and receive exclusive content produced by DOT.

Uso de tecnologia em marketing é importante para 96% dos executivos

ODOT digital group, especializado em soluções digitais para Educação e Marketing, divulgou esta semana um estudo que mapeia a importância da tecnologia entre profissionais brasileiros. Para 96% dos profissionais de marketing no Brasil, o uso de tecnologia é essencial para conquistar consumidores, mas apenas 25% conhecem o conceito de “MarTech”: projetos de tecnologia associados à análise de grandes volumes de dados, para elaboração de campanhas de marketing customizadas e adaptadas em tempo real.

O levantamento foi feito com 170 profissionais de marketing em empresas de pequeno, médio e grande portes, entre os meses de agosto e setembro. Para 41% dos profissionais, as ferramentas de marketing utilizadas hoje por suas empresas são insuficientes para atingir os resultados esperados.

Entre as principais barreiras para adoção destes projetos é a falta de verba, de acordo com 36% dos entrevistados, seguida do desconhecimento sobre os benefícios de MarTechs. Ainda, quase 10% dos entrevistados acreditam que a falta de habilidade, a resistência interna à mudança e desinformação são empecilhos para o desenvolvimento na área.

Ainda, 37%  dos entrevistados admitem que costumam buscar por novas ferramentas quando não atingem os resultados esperados. Somente 5% aportam mais de 50% das verbas para soluções tecnológicas, enquanto a grande maioria destina até 5% do orçamento. Já as prioridades para os próximos três anos são a análise e monitoramento competitivo, big data e fidelização.

Entre as ferramentas e serviços mais utilizados pelos entrevistados para ações de marketing estão redes sociais (31%), automação de e-mail marketing (29%), marketing de conteúdo (14%), análise de métricas digitais (13%), geolocalização (7%), uso de algoritmo de aprendizado de máquina (3%) e microtargeting (2%).

“Esse estudo confirma nossa percepção de que, apesar de o uso de MarTech ser ainda tímido no Brasil, os profissionais do setor começam a acordar para o fato de que o uso de tecnologias avançadas para análise de informações e comportamentos dos clientes representa um caminho sem volta para garantir os resultados das ações de marketing. Trata-se de uma tendência bastante difundida em países como Estados Unidos e que aos poucos começa a chamar a atenção das empresas no mercado brasileiro”, disse em comunicado Luiz Alberto Ferla, CEO do DOT digital group.

Esta notícia foi publicada também nos poratis Meio e MensagemConvergecomMundo MarketingIT Forum 365DP6 e E-Commerce News

Get Content!

Sign up and receive exclusive content produced by DOT.